quarta-feira, agosto 11

Coisas tão inveitáveis...

Eu me lembro uma vez, eu era criança... não sei bem, acho que uns 9 anos..... Eu estava na casa da minha Vó, assistindo TV no quarto da minha tia, enquanto os adultos estavam na cozinha, fazendo coisas de adulto...
Eu estava assistindo Tunder Cats... é eu sempre amei coisas de menino... E bebendo suco em um copo de vidro, pesado.... ele era mais pesado que grande, mas tinha um formato de funil, era mais largo na boca e diminuía o copo até ficar pequeno, é engraçado como a gente se lembra de detalhes.. eu consigo até lembrar o cheiro do quarto e o formato exato do copo, como se isso tudo não tivesse acontecido a anos luz... Eu acabei meu suco, e prendi o copo na boca... Sabe quando a gente suga todo o ar, e a coisa fica presa... por uma sucção... um vácuo, sei lá.... Então eu prendi esse copo de vidro, pesado e fiquei assistindo e balançando ele com o queixo, prendendo toda a região do queixo, e da boca!
Minha mãe entrou no quarto e disse.... Não fica prendendo esse copo, vai inchar sua boca!
Ela saiu, e eu com toda aquela atenção que criança da a mãe, continuei, exatamente como eu estava! O Tunder Cats todo.... balançando o copo com mais entusiasmo nas horas emocionantes!

O Desenho acabou, eu fui pra cozinha... Quando cheguei na cozinha, me olharam com aquela cara de ¨o que é isso¨ .... aquela cara que te faz parar imediatamente e se perguntar o que está errado... Enquanto eu olhava pra todo mundo começaram as primeiras risadas.... E depois todo mundo se torcendo de rir... até minha Vó, que não ria muito fácil... Mas eu ainda não estava vendo a graça.... E quando então olhei para o espelho eu vi... vi a graça toda....

Meu queixo tinha inchado.... muito.... e no formato do copo, ele virou um cone, um chapéu de bruxa da cabeça pra baixo.... e pra melhora, acho que por conta do peso do copo, na parte de baixo, tinha sangue pisado.... sabe, pontinhos pretos.... e o beiço.... enorme.... que lindo! Era domingo, e na segunda eu tinha aula.... Minha mãe passou uns dias tendo crises de riso... E eu com vontade de arremessar alguma coisa na cabeça dela... hahahaha

Coisas inevitáveis.... isso ia acontecer não ia? Minha mãe disse....

Essa historia é um fato real, como tantos outros fatos.... que sempre tem um destino certo... coisas inevitáveis.... Coisas fadadas a acontecer! Mas que podem ser modificadas ... podem sim... Se a gente prestasse mais atenção a voz da mãe avisando, ou aquele sensação de... não vai, ou não faça que facilmente ignoramos.. Mas a vida é assim né... Cheia de caminhos estranhos e decepções!

Eu sumi né.... estou com o braço engessado... Eu tenho uma tal de síndrome do túnel do carpo... calma gente, que meus braço num vão cair...kkk mas estão bem dormentes ultimamente... Pretendo voltar a postar... mesmo estando sem assunto e animo, vamos ver se eu encontro eles por aqui..

bjs a tds

3 comentários:

Tati disse...

nao li td aqui ainda.. mas vou te ligar.. saudades..se cuida
vem no blog p participar do sorteio.. 3 anos de blog..cridita??
bjssssss

MeL disse...

Dois anos maluquinha!

* Aline Virtus * disse...

Mel, MORRI de rir com essa história! huahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuah Ai, gente, que coisa! Você escreve muito bem! huahuahuah Desculpa, mas foi demais pra mim! Incrível! essa blogosfera é fantástica, tá cheia de gente com história doida mesmo. :)

Primeiramente quero agradecer a visita ao Virtus e obrigada pelo apoio, mas quanto a voar, melhor não. Tenho medo! A única coisa boa da gravidade é que fico em contato com a terra, ao sair dela é medo! (Medo de voar, de avião ou de qualquer outra coisa!)

Sou uma ex-entalada agora! :P Estou bem, me recuperando ainda e desejo o mesmo a você. Sacal terem engessado seu braço direito! Fica boa logo e se cuida, vai dar tudo certo neste Tunel do Carpo!

Quanto ao post, os Thundercats eram ótimos! Eu nunca achei que fosse desenho para meninos, até porque eu sempre quis ser a Cheetara, ou ter aquela cinturinha, sei lá! ha ha Mas, na boa, o que era aquele cabelo ruivo do Lion? \o/

E, por último, péssimo isso de não ouvir nossas mães e mais péssimo ainda quando as coisas que elas falam acontecem! Mas que foi impagável sua história, ah foi! Bjs